AS 3 PERGUNTAS-CHAVE PARA NÃO CAIR NO SUPERENDIVIDAMENTO

0
36

Se você ainda não tinha ouvido falar disso, precisamos lhe contar que – em alguns casos – as dívidas podem atingir esse título estarrecedor. Fazendo uma comparação com a saúde e como se você passasse de um sobrepeso para uma obesidade mórbida (só que na carteira), ou seja, os riscos também são bem grandes e podem te fazer parar no hospital. Socorro!

O Superendividamento ocorre quando o pagamento de prestações financeiras supera a margem de 30 % de seu faturamento líquido. Por vezes esse percentual é muito maior, o que pode gerar complicações até mesmo para os compromissos básicos do lar (energia elétrica, água, gás, alimentação).

Algumas situações que motivam esse tipo de desordem podem estar ligadas a mudanças drásticas na rotina de um trabalhador (problemas de saúde, instabilidades emocionais ou até mesmo desemprego) e podem ser agravadas com outros distúrbios financeiros como as compras em excesso, a falta de acompanhamento econômico mensal, os juros e o consumo recorrente do cheque especial.

Para travar de vez a atuação desse verdadeiro vírus da saúde financeira, é preciso mais do que boa vontade (o que é um excelente primeiro passo), mas controle emocional, visão sistêmica, organização e planejamento econômico, mudança de hábitos provenientes da informação e educação financeira.

Para evitar mais casos como esse, o projeto de Lei 3.515/2015 foi criado, para banir alguns comportamentos nocivos do mercado que induzem consumidores a compulsão. Você pode ler na integra clicando no link acima, entretanto buscando cooperar com sua saúde financeira o G4 ECONOMIA sugere uma forma simples de gerenciar o seu consumo com apenas 3 perguntas:

ESSA COMPRA É VERDADEIRAMENTE NECESSÁRIA? Normalmente respondemos usando nosso emocional: eu preciso, eu mereço, eu queria … mas o quanto dizer sim para esse negócio pode impactar sua conta bancária?

EU POSSUO DINHEIRO PARA COMPRAR AGORA? Certamente você trabalha para ter liberdade de desfrutar de seus ganhos, mas como estão seus compromissos fixos e prioritários. Há reservas para essa compra?

EU PRECISO MESMO COMPRAR AGORA? Você precisa saber essa resposta, mas mesmo tendo o dinheiro, lembre-se que cada Real gasto mal planejado deixa de investir em algo melhor no futuro.

Se para alguma dessas perguntas você disse que NÃO, pare!

Se você tem passado por isso, não tenha vergonha de procurar ajuda para voltar ao caminho correto. Há momentos em nossa trajetória que somos pegos de surpresa ou fazemos escolhas equivocadas. Mas sempre há um novo dia para acertar. Sucesso!

Share this...
Share on Facebook
Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui